Como aliviar a tosse em bebês

COMO ALIVIAR A TOSSE EM BEBÊS

 

 Podemos dizer que a tosse não é uma doença grave, ela gera muito desconforto para os bebês, principalmente os recém-nascidos, e vem sempre acompanhada de um resfriado. 

 O resfriado, por sua vez, é a inflamação das vias respiratórias e pode ser causada por muitos tipos de vírus. Ao espirrar, gotículas são espalhadas pelo ar e outras pessoas absorvem essas gotículas ao respirar, esse é maneira mais natural do contágio.  

 

 Para os pais é um terror ver o seu bebê sofrendo com os sintomas, pois alguns bebês e crianças perdem o apetite, o sono e um simples resfriado se transforma em tormenta para toda a família.

 

Os principais sintomas de um resfriado em bebês

 Olhos vermelhos, coriza, dor de garganta, tosse e até uma febre leve, mas isso não é obrigatório. A falta de apetite e uma grande irritação também são sintomas em comuns. Os bebês que têm menos de 6 meses podem ter dificuldade para amamentar devido à congestão nasal.

Para saber exatamente o grau da doença, os pais precisam estar alertas e levar o bebê para que um pediatra acompanhe o quadro clínico. Bebês que têm menos de 3 meses devem ser levados ao médico o mais rápido possível, mesmo antes de 24 horas. Mas, se o bebê tiver menos de 12 meses e apresentar dificuldade para respirar, tosse persistente, fadiga (cansaço), muco esverdeado, você deve procurar um atendimento médico no pronto-socorro.

 

Prevenção

  • Evitar que o bebê se resfrie; 
  • Manter o bebê longe de pessoas resfriadas e/ou doentes; 
  • Pedir aos familiares e amigos que lavem as mãos antes do contato com o bebê;  
  • Manter o bebê limpo, principalmente as mãos.

 

A melhor forma de criar anticorpos no seu bebê e mantê-lo saudável é com o aleitamento materno, ou seja, amamente. Lembre-se disso!

 

Dicas para aliviar os sintomas

  • Dar muitos líquidos. Porém se ele tiver menos de 6 meses, amamente apenas;  
  • Lavagem nasal com soro fisiológico; 
  • Aspirar o nariz do bebê;
  • Deixar o bebê descansar; 
  • Se houver febre e mal-estar, administre um antipirético sob orientação do pediatra. 

Nos 12 primeiros meses da vida de um bebê é bem comum que ele pegue resfriados, saiba disso.

Mas, é muito importante você saber que existem doenças que podem ser mascaradas com os mesmos sintomas de um simples resfriado. Por isso, o acompanhamento de um profissional para evitar que um simples resfriado se transforme em gripe, ou em algo mais grave como: rinite, pneumonia, sinusite ou miocardite, por exemplo. 

Quando o nosso bebê está com tosse é normal que tenhamos muito medo, mas uma tosse normal é benéfica para o corpo, ela é o reflexo do nosso corpo a uma irritação.   

 Quando uma criança desenvolve uma tosse crônica, os pais ficam assustados e confusos. No entanto, uma tosse normal pode ser benéfica para o corpo, pois é o reflexo de raiva natural do corpo. 

 

O que é tosse crônica?

Quando nossas vias aéreas são atacadas por bactérias, corpos estranhos, alimentação e secreções, a tosse aparece como uma defesa. Quando a tosse se torna persistente é que devemos nos preocupar.

Temos dois tipos de tosse: a tosse produtiva e a tosse seca. 

Na tosse produtiva existe secreções, que pode significar que a pessoa está com pneumonia, mas ela vem sempre acompanhada de outros sintomas. 

Na tosse seca não existe secreção (muco), mas é desencadeada por alguma irritação. Ela causa muito desconforto porque pode provocar vômitos, insônia e é persistente.               

Podem também ser classificadas quanto à duração:

 Aguda:  menos de 3 semanas; 

 Subaguda: de 3 a 8 semanas; 

 Crônico: mais de 8 semanas.

Quando houver tosse crônica é preciso um médico para acompanhar as causas.   

Quais as causas?

As causam variam e devem ser relacionadas quanto a sua duração. Se persistir por mais de 4 semanas, é preciso o acompanhamento médico.

Devemos saber que todo diagnostico realizado pelo médico será feito com base no histórico familiar e nos sintomas.

Isso porque algumas doenças respiratórias que tem a tosse como sintoma pode ser de origem genética. 

Vejamos algumas delas: rinites, amigdalites, bronquites, pneumonias, asmas, otites, intolerâncias alimentares, apneias, roncos, dentre outras.

Diagnóstico

Se a tosse do seu bebê estiver acompanhada de um chiado e falta de ar, pode ser pneumonia. Se for o caso, friagens e infecções virais podem piorar o quadro clínico.

Se o bebê estiver com infecção sinusal ou resfriado comum, é comum ele estar com dor de garganta também. 

Em casos de tosse crônica pode haver coriza e congestão nasal.

O que os pais precisam saber é identificar e monitorar a duração da tosse, a presença ou não de muco, a cor desse muco e procurar um médico pediatra para acompanhar o caso.     

Compartilhe

Em destaque

Quer receber mais conteúdos como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email.

Precisamos das informações de contato que você nos fornece para comunicar informações sobre produtos e serviços.